domingo, 2 de novembro de 2008

Estreito de Magalhães

Estou solidário com a ideia, que até julgo ser a do Dr. Louçã, segundo a qual a obsessão comercialista do Sr. Sócrates não é muito condizente com a dignidade de governante dum País Velho, já que os de outrora participavam em cimeiras sem fazerem demonstrações de electrodomésticos. Mas parece-me infeliz a comparação a um vendedor de enciclopédias, já que a colagem a essa digna profissão poderia enganosamente fazer pensar que o P-M tem pensada uma Política Cultural.
Numa sinédoque de êxito, ficou consagrada a habilidade para vender um produto com a etiqueta vendedor de automóveis, como que linkando à sagacidade psicológica que alguns profissionais do ramo ostentam, ao impingir os bólides cuja venda lhes incumbe. Que o líder do BE não haja recorrido a esta estabelecidíssima expressão, parece-me cautela matreira: como ter um carrão é o grande ideal da nossa sociedade consumista, ainda poderia passar por ir fazendo um elogio ao Chefe do Governo...

15 comentários:

ariel disse...

Querido Paulo, cá para mim o homem tinha bebido uns copos, que cena mais caricata....

Mialgia de Esforço disse...

Já faltou mais para vermos o Grande Timoneiro, numa das próximas cimeiras, fazer a promoção das iguarias tugas que o Mundo ainda desconhece: o queijinho fresco, os enchidos e o Courato&Mini, esse must da gastronomia dos estádios.

filomeno2006 disse...

Como demostró el gran Hergé, los portugueses llevan el comercio en la sangre......(¿Sr. Oliveira da Figueira se llamaba el personaje?)

Pedro Barbosa Pinto disse...

Se a de êxito poderá ter sido cautela matreira, a de charlatanismo - colocando-lhe a etiqueta de vendedor da banha da cobra - terá sido por atenção ao irmão do "sócio", que, mais dado a feiras, poderia ficar com o discurso prejudicado?

Luísa disse...

É de um ridículo atroz, Paulo! Mas não é nada que não se inscreva na lógica da presente linha de governação. Como mentir descaradamente, dizendo que é um computador de concepção e fabrico português a uns quantos que já o «conceberam» e «fabricam» há anos; ou declarar que todos os seus assessores não usam outra coisa… se bem que esta, a aferir pela qualidade do produto final dessas assessorias, até fosse credível. :-)

cristina ribeiro disse...

Fico vermelha de vergonha: aquele que, para todos os efeitos, deveria saber ter essa "dignidade" de um País com pergaminhos antigos ( bem sei que já há algum tempo andam de rastos), mais parece um vendedor de banha de cobra.

filomeno2006 disse...

"Banha de Cobra" = ¿Loción crecepelo?

filomeno2006 disse...

El Presidente Hugo Chávez no está siendo "de vía estreita", precisamente, con Portugal; decide la compra de un millón de unidades del Computador "Magalhaes"........

tsantos disse...

Incrível, de facto...Isto, noutros tempos, nunca seria admitido (mesmo, e até principalmente, pelo próprio)...Mas enfim, são a "elite" que temos. Ao que parece, vale tudo, quando se trata de fazer uns negócios...

"Oh tempora, oh mores"

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Bem, eu manifesto aqui a minha respeitosa discordância com o que acabo de ler, mas só a justifico lá no CR, com um post que está a ser acabado.
Grande abraço

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Ariel,
eu acho é que, depois desta, urge fazer uma manifestação de desagravo ao circunavegador martirizado nas Filipinas. Defesa do nome, que coisa!

Meu Caro Mialgia,
pegando nessa decerto profética cena, lá dica deitado por terra um dos orgulhos maiores confessados por Sexa. O de usar o mesmo número de casaco que aos vinte anos... De outro modo, como poderia, desabotoando-o, apresentar aos colegas uma panóplia de farturas embrulhadas, prontas a degustar?

Meu Caro Filomeno, nunca esse honrado Comerciante se sentaria em tais companhias!

Meu Caro Pedro Barbosa Pinto,
ehehehehehe, com efeito, o conhecido deputado europeu ficaria em maus lençóis,com a sua praxis assimilada à da bête noire!

Querida Luísa,
a primeira é completamente enquadrável na dupla viciação de que enferma o Sócrates a que temos direito, a de garantir que as coisas são diferentes da realidade. Quanto à segunda, tenho de fazer um telefonema. Uma Querida Amiga trabalha no gabinete dele. Ultimamente, anda adoentada. tenho de apurar se é algum efeito do Magalhães, quer dizer da figura que o chefe a faz fazer, já que as perturbações não vêm sendo do foro oftalmológico...

Querida Cristina,
se fica vermelha, eu tendo para o verde! Aquilo sabe lá o que é o formalismo mínimo! Mas nós é que somos tontos em estranharmos, ou não Se lembra de como, naquela boca, qualquer ganho próprio passa a "porreiro, pá", mesmo no que quer fazer passar por Alta Diplomacia?

Meu caro Filomeno,
isso, sim, e muito mais. Era terapia para todo o mal que se sofresse ou temesse!

Olha, outro! Não é em venda, parece que anda mais por troca por uns barris daquela coisa viscosa e enegrecida que ele tem por lá. Mas talvez seja esse o que menos estranhará este comportamento, hã, heterodoxo...
Pena não estar lá o Vosso Rei para aplicar ao Chico uma medida correctiva adequada, como fez com o amigalhaço dele...

Meu Caro TSantos,
que fazer? O pior é que este aproveitamento de um contexto que pretenderia resolver os problemas sérios do Mundo para engrossar uma carteira de clientes nos pode fazer a todos passar por monomaniacos que só pensamos em alargar o leque de compradores!

Meu Caro Carlos Barbosa de Oliveira,
o Amigo deixou-me curioso. Lá irei!
Beihinhos e abraços

Gi disse...

Muito sinceramente, não me importo que o nosso PM faça promoções, se elas servirem para trazer receitas para o País.
Necessita, no entanto, e nisso convenhamos, de umas frases publicitárias mais apelativas.

mike disse...

Caricato, caro Paulo. Nem de vistas estreitas poderemos falar, mas de ridículo e de verginha (nada estreita) que sentimos por conta de outrem.
Abraço.

filomeno2006 disse...

Si Zp le regala una computadora "Magalhaes" al Presidente Bush......¿Es capaz de invitarlo a la Cumbre del G- 20 del 15 de noviembre?

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Gi,
mas tirar da car(t)ola este coelhinho aque se pretendia de nível, não soa a pedir uma gorjeta?

Meu Caro Mike,
para além do mais, arriscado: olha se os outros participantes na Conferência resolvem experimentar a máquina, lendo o «Desconversa»! Não falarima de nenhum dos temas da agenda!

Meu Caro Filomeno,
ora, lá pelo Navegador Magalhães ter servido a Grande Espanha, não quer dizer que o computador do nome enverede por caminho idêntico!
Beijinhos e abraços