quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Uns Grandes Pintores!

Bem me tinha parecido pouco coerente com as preocupações do actual executivo camarário este conjunto de intenções de limpeza e responsabilização pelos graffiti do Bairro Alto. Nesse mesmíssimo lugar vão agora debater e endeusar, segundo o recorte do «Destak» de hoje, a expressão das interioridades frequentemente obscenas e, em todo o caso, gritantes, ao ponto de a quererem fazer passar por Arte. Está explicada a primeira notícia: era uma tentativa de conferir aos autores dos rabiscos a aura da perseguição que faz O Verdadeiro Artista...
O Pintor de Graffiti, apanhado Aqui

7 comentários:

Margarida Pereira disse...

Eu só tenho uma pergunta: V.Exa. tem o dom da ubiquidade!?

Gi disse...

Não tenho nada contra os graffitis, no sentido puro da arte, e em paredes e muros autorizados;

Veja este meu post e as fotos; foi uma verdadeira mais-valia, garanto-lhe!

Patti disse...

Eu sou testemunha, a Gi consome tudo o que é Lisboa Grafitada.

Mialgia de Esforço disse...

Caro Paulo,

Não me faça rir! Mas ainda acreditou que aquela treta do Costa da Câmara fosse para ser levada a sério?

Em vez de limpar - uma maçada - esborrata-se ainda mais. E ainda vamos ver o Zé de spray e brocha na mão a dar a segunda demão. Assim como assim os moradores já têm as casas todas borratadas. Junta-se-lhe o toque artístico.

Abraço.

ariel disse...

Tenho uma posição ambivalente quanto a esta matéria. Há coisas muito interessantes,quando contextualizadas, e há o lixo puro e simples...

beijinho

ana v. disse...

O pior é que a maioria é lixo puro e simples, Ariel. Ainda por cima fora dos caixotes do lixo.

E mesmo os que são bons dão um ar "sujo" às cidades, acho eu. Não é uma arte que eu aprecie, confesso.

Paulo Cunha Porto disse...

Qual, Dasy, Dear,
corro de um lado para o outro, isso sim. E qualquer dia compro um telemóvel como o do Meu Amigo João távora, que tem computador incluído, para blogar em plena rua. Só não o usarei como tm, claro.

Ah, Querida Gi, mas essa muralística não é alvo da minha moralística! Eu falava no que se vê no Bairro Alto, muito mais próximo da ordinarice e gratuitidade da imagem...

Querida Patti,
perdoe desmenti-La, mas pelas imagens que Ela postou está longe de ser tudo. A Nossa Amiga tem dedo.

Meu Caro Mialgia,
pois, sou um ingénuo... E agora que deram o pelouro da limpeza das ruas ao Zé... Ficava justificada a evolução dos últimos dias, já não há o risco de ele pintalgar a mensagem do BE, a do PS é que está a dar(-lhe).

Está como este Seu idólatra, Querida Ariel. Mas no Bairro Alto ainda não encontrei a primeira categoria, em todos os sentidos.

Querida Ana,
ainda na semana passada vinha a lamentar, com o José Mendonça da Cruz do «Risco Contínuo» o estado das paredes daquela Lisboa. E era à noite!
Beijinhos e abraços