quarta-feira, 12 de novembro de 2008

A Gemada da Reforma

Em primeiro lugar, tenho de dizer que lançadores de ovos a figuras públicas deveriam ser expostos no pelourinho, para que a multidão transformasse os projécteis em boomerangs e os devolvesse, podres, como outrora.
Mesmo tratando-se da Ministra Lurdes, os brincalhões de Halloween para além da data não têm desculpa. Mas isso não impede que esteja aguardando, ansioso, uma nota conjunta do Ministério da Administração Interna e do da Educação, revelando que os arremessadores contra a Governante referida eram Professores disfarçados. É que se forem alunos, como vem noticiado, perde-se o alibi do Executivo, qual seja o de reformular os moldes da actividade docente para benefício de quem aprende. Se os que estudam estão contra as inovações tanto como os que ensinam, o único interessado nas novidades passa a ser o Conselho de Ministros. Que, com efeito, vem mostrando ter pouco a ensinar e menos ainda conseguir aprender.
O boneco abaixo não é da natureza das condenações que anteriormente citei. É um divertimento de feira, que permite atirar um ovo ao sujeito, desde que se page um euro. Pudesse eu pôr a titular da pasta da Educação neste preparo, como colaboradora numa empresa de local de diversões, teria a vidinha feita.

13 comentários:

Mialgia de Esforço disse...

Meu Caro,

Mas ontem houve mais umas quantas cenas dignas da melhor britcom com que os excelsos governantes resolveram presentear o contribuinte. Foi uma barrigada!

Para além da D. Lurdes a fugir aos tétés, tivemos a D. Jorge com a rábula das 143 chamadas, em 8 horas, perdidas para o 112. Acho que o Guiness deveria estar atento a isto.

Seguiu-se o Pinho, na minha opinião um dos maiores comediantes da actualidade, a esclarecer cabalmente as suas relações pessoais com o Sr. Sebastião da Concorrência.

Por último, e para mim o melhor momento da noite, o extraordinário número de mímica protagonizado pelo Sr. Governador aquando das interpelações dos deputados da AR. Marcel Marceau deixou um digno sucessor. E é tuga!

Abraço.

Luísa disse...

Há gestos, Paulo, que já só condeno… em abstracto. Em concreto, acho graça. Atirar ovos e tomates é uma forma consagrada, no espectáculo, para manifestar desagrado com a «performance». Pelo aspecto circense que a nossa política está a assumir, parece-me que essa forma de expressão se lhe ajusta às mil maravilhas. Sobre os quatro «números» de que fala o Mialgia, encantou-me o do Manuel Pinho, quando, entre outras boas referências ilustrativas da independência do presidente da Autoridade da Concorrência, citou o facto de este ter estudado na mesma universidade de Obama. Uau! :-)

Pedro Barbosa Pinto disse...

A Luísa interpretou a referência que o Pinho fez aos estudos do Sebastião na mesma Universidade que o Obanma como ilustrativa da sua independência enquanto Presidente da Autoridade da Concorrência.
Já eu relacionei essa menção com a competência do Sebastião. Assim como quem diz: - "O Sebastião não se formou numa qualquer Universidade Independente qualquer!"

Mialgia de Esforço disse...

Tanto o Pedro como a Luísa têm razão, mas também li que aquela cabecinha queria passar esta mensagem:

"É para que vejam que não faço negócios nem passo procurações a um caramelo qualquer!"

Comediante, mas com um elevado sentido de responsabilidade!

Patti disse...

Pena eu não ter lá estado. Tenho uma receita de Bolo Podre excelente!

Paulo Cunha Porto disse...

Ai, Meu Caro Mialgia,
e eu que fui jantar fora e perdi esses grandes momentos de entertainment!
Mas ainda ando às voltas com a transcrição das declarações do Governador Constâncio, que me parecem encerrar alguns mistérios insondáveis.

Ora, Querida Luísa,
claro que seria melhor ele ter duas filhas com o nome das do Presidente Eleito, mas, na falta, uma coincidência universitária não será apta a despertar um niquita das boas vontades que a Obamania contém?
Quanto ao direito à indignação, acho que ele não pode desvirtuar-se, saindo da casca da correcção. Ou tentando parti-la contra a cara de quem, todavia, merece, como foi o caso.

Pronto, Meu Caro Pedro! Não vê que o Timoneiro, Mialgia dixit, lê este blogue? Lá vai o Pinho ser mandado para uma serração!

Querida Patti,
Ehehehehehe, esse sim, seria um protesto que não prescindiria do chá!
Beijinhos e abraços

Gi disse...

Já estou a ver o Pantagruel a ser enriquecido com umas belas receitas de ovos à MLR.

Paulo Cunha Porto disse...

Ai, Querida Gi,
ainda bem que não sugeriu "Milú com Eles"!
beijinho

Mialgia de Esforço disse...

Caro Paulo,

Esta opereta já fede e, como de costume, não há vontade de ir até ao tutano do assunto. Á cause des mouches...

Abraço.

ana v. disse...

Não vejo qualquer ofensa no arremesso de ovos à ministra dóna lurdes... os alunos só estavam a ser generosos, grantindo que ela não tivesse que fazer omeletes sem ovos, nada mais!

E pelo que leio nesta caixa de comentários, muito perdi por não ter visto televisão ontem!

tsantos disse...

Hmmm...Esta lembra-me uma história semelhante passada connosco. Recordas-te do "Tiro ao Padre"?!

Ab
T

Paulo Cunha Porto disse...

Oh! Se lembro, Meu Caro TSantos. Mas, por ser em efígie, lembrei-me mais dessa cena quando postei sobre o boneco do Sarkozy e os alfinetes...
abraço

tsantos disse...

Eh, eh, eh...Também nunca mais a esqueci!
Que tempos!

Ab
T