quarta-feira, 19 de novembro de 2008

De Costa às Costas

Este Enigmático Troll da Ponte lembrou-me o Dr. António Costa. Por causa da sua iniciativa em intimar o Ministro Lino, o das definitividades provisórias, a alterar a nova via suspensa em aspectos vários. Indo à substãncia da questão, não vejo que a altura fizesse grande mossa. Estou cansado de ler prevenções arquitectónicas contra travessias aéreas deste jaez e o resultado, invariavelmente, até beneficia a paisagem, veja-se por todos o caso da de Alcântara, para além de a amplitude da bacia do Tejo me parecer aguentar bem este novo elemento, mesmo se as imagens do projecto me sugerem as de um duplo da Vasco da Gama. Biologicamente poderá ser lesiva para o rio, mas não é disso que o Edil alfacinha trata.
O problema dos acessos já entendo. Quanto ao percurso que faça, as alterações têm alguma lógica, numa zona um tanto atravancada. Mas surgem-me umas certas dúvidas sobre a vantagem de a entrada se fazer em túnel, não só pela conhecida propensão sísmica da região, como porque a cidade, de tanto esburacada que vai estando no subsolo, qualquer dia apresentar dificuldades a expansões futuras do Metropolitano.
E chegamos ao essencial, quer dizer, o enigma do estardalhaço com que o Presidente da CML divergiu do Governo que já integrou. Numa altura em que este começa a suscitar vagas de contestação, por enquanto ainda localizadas, mas de dimensão, o facto de, como rezava musiquinha do meu tempo de menino e moço, a ponte ser uma passagem para a outra margem não configurará a demarcação que preserve popularidade e constitua alternativa? Com esta desconfiança a inundar-me, compreenderão que não haja intitulado o postalinho "De Costa a Costa". E daí...

5 comentários:

Mialgia de Esforço disse...

Interpreto esta notícias como estratégia meramente eleitoralista (sintonia entre a CML e o Governo. Só falta o som dos violinos!) Cá estaremos para ver (seria sinal que chegaremos a velhinhos!) quando e se se fará a dita cuja.

Ainda a CML: Afinal a requalificação da Casa dos Bicos já não vai custar 600.000 Aérios mas sim 1,5 milhões dele. Bem sei que o custo de vida está pela hora da morte, mas o que para aí não falta é mão-de-obra qualificada. Extraordinário como neste país não se cumpre um único prazo e orçamento. Já para não falar da doacção em causa.

Abraço.

Luísa disse...

Julgo que as pretensões do António Costa quanto à nova ponte já não são de hoje, Paulo. De hoje é, sim, a «visibilidade» que lhes está a ser dada, para mim com a intenção evidente de afirmar uma independência que tem sido particularmente questionada nestes últimos tempos. Também me parece natural – pensando no seu «post» anterior - que, em momentos de grande tempestade, quando o barco escoiceia sobre ondas revoltas, haja sempre uns quantos «ratitos» a posicionar-se perto dos escaleres de salvação.
P.S.: Esse assunto da Casa dos Bicos, referido pelo Mialgia, já me perturbou o processo digestivo em curso. É que, ao contrário do que refere o nosso Amigo, há muitas obras que cumprem os orçamentos e os prazos. Mas não são obras públicas. Com as públicas, todos os valores dobram, invariavelmente (ainda antes da obra começar), se não triplicam ou quadruplicam (depois). E é isso que torna a situação significativa e verdadeiramente escandalosa. Haverá alguma coisa a fazer contra isto?

Mialgia de Esforço disse...

Cara Luísa,

Bem entendido que me refiro às obras que envolvem despêndio de dinheiros públicos. Com as outras não me preocupo, a menos que me diga respeito ou a alguém que me é próximo.

ariel disse...

Querido Paulo, digamos que há evidentes sinergias nesta troca de galhardetes...

Beijinhos

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Mialgia,
longe de mim excluir que o romance do sim de Lino a Costa seja usado para transformar os noticiários políticos em revistas de coração! Não é o que vai sendo popular? Ou elas não se vendessem tanto!
Quanto ao problema bicudo, nada é demais para um Nobél, pensam eles de que...

Querida Luísa,
seja a visibilidade, seja o fundo, penso que o Dr. Costa faz, realmente, não dos ratecos que fogem, mas da ratazana que se aparta, espreitando do buraco que é a Reserva da República...

Querida Ariel,
e adivinhe quem sai esmagado destes apertos musculados provenientes do culturismo partidário?
Beijinhos e abraço