terça-feira, 18 de novembro de 2008

Os Vapores Dum Ratão

Dia do aniversário oficial de um rato muito famoso, por ter sido a 18 de Novembro de 1928 que foi dado ao Público este filminho sonoro por Mickey protagonizado. Nesta altura ainda apresentava traços diferentes do que se veio a tornar: o engenho com que respondia às dificuldades era diferente do absoluto domínio de si e das situações que, mais tarde, sobretudo na BD, viria a ser a sua imagem de marca. Como a emotividade arrebatadora, alfim devidamente morigerada e uma forma de reacção incompatível com o posterior carácter certinho, conforme comprova a atitude deste para com os animais, visível na justificação dos meios pelos fins, como na produção de música à custa da bicharada, especialmente numa originalíssima invenção da pianola que nos é sugerida.Tenho, porém, para mim que o èxito desta criação, a que sempre preferi o muito mais humano Pato Donald, vive muito da recalcadíssima aspiração da nossa espécie a conseguir desenvencilhar-se de dificuldades com a facilidade de um desenho animado, sem as contorções e esticadelas de muitos deles. Quanto à imagem, há a considerar esta incrível antecipação de 700 anos, descoberta numa igreja austríaca, que se julga ser uma representação de S. Cristóvão através do texugo ou doninha que, frequentemente, o simbolizavam. Também aquele gigante conhecido por Réprobo se transformou em coisa mais perfeita, ao contrário de outros metamorfoseados do nome.
Mas por muito que a publicidade da Companhia Disney queira, o rato que transformou o Mundo foi, isso sim, este.

14 comentários:

ana v. disse...

E eu espero que não venha um flautista qualquer para levar este rato que transformou o mundo, porque não há maneira de habituar-me a passear os dedos sobre um ringue de patinagem do tamanho de uma caixa de fósforos, ou a usar as teclas em vez dele. É, aliás, o único rato de que eu alguma vez gostei...

PS: Espantoso, esse Mickey medieval!

Bjs

JúliaML disse...

apesar de não gostar de BD, esses dois são os únicos objectos da minha simpatia, mas também prefiro o Pato Donald, Paulo!

beijinho

Patti disse...

Parabéns ao Mickey, que é um eterno bonzão.
Mas o meu preferido também é o Pato Donald, com aquele destino de incompreendido, que ele descarrega num mau humor fascinante, mas no fundo inócuo.

fugidia disse...

Fabulosos, os dois ratos que revolucionaram o meu mundo, em épocas distintas :-)

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DO NOSSO AMIGO ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existisse tinham que o inventar) disse...

Não digam mal do Mickey =(
O Mickey é o meu preferido, tão querido, tão simples e ao mesmo tempo tão elaborado, o únco rato de que gosto...aliás o que mudou o mundo irrita-me, prefiro "o ringue de patinagem do tamanho de uma caixa de fósforos"...
Quanto ao Donald, sempre o achei um bom tio para os seus 3 sobrinhos...
Em pequenina dizia que queria um carro Mini porque julgava que era o carra da Minnie...Era tão feliz, enquanto criança ignorante...(é que hoje em dia quero um Mini porque gosto do carro, mas descobri que os carros não caem do céu...lol)
Eu gosto das persongagens todas, mas o Mickey é o Mickey!
lol
Beijinho

mike disse...

Eu acho o Mickey um bocado sonso. Sempre armado em bem comportado, com uma fleuma desesperante e pouco humor. Gosto muito mais do Pato Donald.
Abraço.

ariel disse...

Querido Paulo, sempre achei o Rato Mickey irritantemente insonso..:)nem nunca fui muita dada aos desenhos animados, com excepção da Maga Patalógica.... :)

beijinho

RAA disse...

Ah!, parabéns! Eu também sou mais Donald, mas hoje viva o Mickey!
Ab.

Marie Tourvel disse...

Este último rato pode ter transformado o mundo. Só que você, Paulo, querido, transforma meus dias tristes em alegres. Tão bom isso... ;)
Beijinho

Pedro Barbosa Pinto disse...

Nem quero imaginar se o Walt tivesse começado com a Minnie qual seria o epílogo deste post!

Ka disse...

Paulo,

TEm de fazer um post sobre o Pato Donald :) Somos muitos os admiradores!!!!

O desenho da igreja austríaca está fantástico...perguno-me onde descobre estas cosias :)

Beijinho

Mialgia de Esforço disse...

O Mickey, originalmente Mortimer, creio, foi personagem que sempre me irritou. Demasiadamente certinho, mainstream a mais para
:-)))) para o meu gosto.

No Universo Disney, as minhas preferências sempre cairam nos personagens desalinhados, João Bafodeonça, Irmãos Metralha, Mancha Negra.


Rato importante mesmo é este que as nossas sapudinhas mãozinhas diariamente afagam!

Abraço.

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Ana,
também não gosto nada desssa moda tecnológica que descreveste divinalmente. Tanto que uso sempre o meu portátil com um rato exterior.
No falecido computador que o antecedeu é que o ratito era curioso, um botãozinho bem no meio, semelhante a um clitoris, perdoem-me a comparação espúria.

Querida Júlia,
tinha a convicção de que seria essa a preferência, afinal o Donald é um misto de Espontaneidade e a Lealdade conjugadas.

Querida Patti, quando me acontese alguma também tento desabafar com um Quaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaack! vigoroso. Mas ainda tenho muito que treinar.

Querida Fugi,
e na net há uns de computador com imagem de Mickey Mouse...

Querida Lady Bird,
eu acho que o Mickey perdeu muito com a companhia do Pateta, Se compararmos o dos filmes de animação e o das histórias em quadradinhos, aburguesou-se!
Gosto do Donald, porque com os Gastões deste mundo a rivalzarem com ele e os Tios Patinhas a oprimirem-no, consegue não ser um revoltado.

Meu Caro Mike,
estamos na mesma onda, o Donald, para além do mais, é uma espécie de Joe the Plumber, sem defeitos.

Uau, Querida Ariel,
e também corre atrás de uma moedinha da sorte para a derreter num vulcão? Por falar em Maga, devemos não esquecer a "bruxa mais bruxa não há", que é a Madame Min.

Claro, Meu Caro RAA,
o que não impede que, pelo favoritismo auto-congratulatório do Patriarca Disney, seja um eterno "menino do papá".

Querida Marie,
uma Tentação deslumbrante como a Menina não tem direito a dias tristes. Fico como cão de guarda.

Bem, Meu Caro Pedro Barbosa Pinto, parece-me que aí não estaríamos no domínio da Revolução, mas, como qualquer um de nós atesta, no da Tradição. Muito superior, até nesta vertente.

Querida Ka,
vou pensá-lo, ele merece.
Muito obrigado, sabe eu sou noticiófago, entre tanto lixo encontro sempre algumas aproveitáveis. E como tenho uma memoriazita qb, consigo arquivar muitas para uso no momento certo.

Meu Caro Mialgia,
Demos graças ao Senhor Nosso Deus por o Amigo preferir aos figurões mainstream os bem-intencionados que o não são!
Mortimore, sim, foi o primeiro nome do boneco.
Eu também sou fã do Mancha Negra. Quando era miúdo, até tentei que a monha Mãe me arranjasse um lençol negro, mas fui logo desmotivado...
Os Metralha`s lembram-me sempre a alcunha que a Ana Vidal pôs ao Joe Berardo.
Beijinhos e abraços

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E daqui vai masi um voto o Pato Donald ( e já agora no Tio forreta, transplantado para a vida real numa personagem de cor rosa, com nome de filósofo grego)
Abraço