quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Uma Questão de Propriedade

As declarações do Dr. Al Zawahiri são mais do que a necessidade de continuar a ter nos EUA uma cabeça de turco em que malhar Com efeito, que outra coisa poderia ele dizer, depois de o Presidente Eleito Obama ter prometido, como grande inovação relativamente à Administração Bush, em Política Externa... a captura de Bin Laden? Claro que novo, novo, só o resultado, a tentativa é mais do mesmo. E aquele é precisamente o que não se pode garantir.
Quanto às palavras do Egípcio, nem vale a pena lembrar o triste papel que os Árabes a que pertence desempenharam como pioneiros do tráfico de escravos negros. As suas próprias indicam que para ele e os seus o Negro livre é aquele que lhe obedeça. Um caso de disputa de propriedade, não de emancipação, por conseguinte.
Uma última nota: o Director da Cia produziu um testemunho em que reafirmava pela enésima vez que o líder da Al-Qaeda está vivo e cercado, enquanto funcionários seus, sob anonimato, expressaram a convicção de que se encontra morto. Não era preciso terem gasto tanto dinheiro com a Agência, se mo tivessem perguntado eu, fundadamente, teria podido assegurar que era uma dessas duas condições possíveis a do fugitivo. Estes espiões ainda são piores do que os astrólogos de que falava Voltaire, um dos quais previra que certo bebé chegaria à idade adulta, enquanto o outro opinava que ele estava para morrer: ao menos um dos dois estava sujeito a errar!

10 comentários:

Patti disse...

De terroristas assassinos, também não se esperaria outra coisa.

É um dos gigantes dossiers-problema de Obama, que estou curiosa de ver como é que ele vai lidar.

Rudolfo Moreira disse...

S. Há por aí quem diga que o Bin Laden nunca existiu.
A comentadora Ariel na imagem está num lado vingador da personalidade.

Ka disse...

Estou também com imensa curiosidade em ver qual seá a postura de Obama perante este assunto! A imagem que transmitiu duranta a campanha era tão distinta daquela que tivemos de aturar durante os últimos anos que gostaria de confirmar que existe na realidade uma clara diferença.

Ps - Tem um desafiozito no bdk!

Nelsinho disse...

Ou, como sempre ouvíamos na sala de aula, "Se não é boi, é vaca!"

Os arapongas da Cia nunca foram tudo isso que os pintavam nos filmes

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caro Paulo:
Há anos que ouço dizer que está cercado e, de quando em vez, surgem notícias de que estará morto.
A pergunta que me ocorre é sempre a mesma: se está cercado, porque não o pendem? Será pelas ligações conhecidas da família com negócios de Dick Cheeney e "tutti quanti"?
Espero que Obama seja capaz de acabar de vez com esta telenovela, prendendo , ou matando, o fulano e os compinchas. No entanto tenho algumas dúvidas, pois parece-me que aos EUA interessa que as coisas continuem nesta indefinição. Será Obama capaz de romper com esses interesses?

Gi disse...

O terrorismo é mesmo assim: atacar, atacar, para melhor se defenderem; descobriram a arma que enfraquece o Ocidente: o Medo que os Ocidentasi têm de morrer.

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DO NOSSO AMIGO ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existisse tinham que o inventar) disse...

Ai Paulo, hoje não me fale em EUA porque lembro-me logo do teste, e que os States são um ordenamento jurídico plurilesgislativo, e que se aplica o artigo 20 do Código Civil... enfim, só coisas trites...lool...

Beijinho

cristina ribeiro disse...

Esfregam as mãos os americanos: "Agora é que vai ser!..."
Beijo

ariel disse...

Querido Paulo, isto de colocar uma Águia e conspurcar-se com a cabeça tinhosa do bin laden é que não lhe perdoo. Então não arranvaja por aí um bicho rastejante qualquer para fazer o servicinho? Agora amuei eu..:)

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Patti,
acho que nada vai mudar. Ele só pode prometer empenho, ninguém o pode fazer cquanto aos resultados. E isso não é diferente do que conhecemos.

Caro Rudolfo, era lá capaz de endereçar à Nossa Amiga tanto veneno? E por semelhanças, o Bin Laden, aqui, nem está parecido coo Pacheco Pereira, de quem o acho um sósia.
Quanto à inexistência, deve ser como a da Guerra de Tróia.

Querida Ka, espero ter (co-)respondido.
Mas as promessas de campanha desse campo eram de desviar recursos para o Afeganistão, o que creio supérfluo. E de impor vontades ao Paquistão, o que poderá revelar-se perigoso. Na volta, nada mudará, é para onde tendo a apostar.

Meu Caro Carlos,
em relação ao Obama, não me deixo levar por essa dos interesse, porque o maior de qualquer político americano seria capturá-lo. Quem o consiga fica com lugar na História assegurado e, mais, espaço para manobrar à vontade.
Não, o homem é mesmo bom, não no sentido de bondoso, mas no de eficaz. E conseguiu uma aliança de dinheiro, tecnologia, fervor religioso reformador e fidelidades tribais com que o Ocidente não lida bem. Sabe que a Al-Qaeda consegue evitar que nas montanhas fonteiriças afegãs-paquistanesas a própria Internet seja empastelada?

Querida Gi,
um antigo presidente Iraniano, Rafsanjani, dizia que o terrorismo é a arma atómica dos pobres. Bom, mas esta, criminosa como é, não foi posta a uso mais de um par de vezes. Pede-se-lhes coerência com esse entendimento...

Querida Lady Bird,
quero um creditozinho no Vinte que vai obter!

Querida Cristina,
mais fácil o preenchimento das expectativas similares de um outro grupo, o dos adeptos benfiquistas...

Querida Ariel,
eu pensei nesse problema. Mas,depois, tranquilizei-me, era só uma prima Americana da Nossa. Não há por que amuar.
Beijinhos e abraços