quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Trinta Por Uma Linha

Quando a legitimidade de ocupação de um lugar é pessoal, como nos EUA, em que o nome e o eleitor interagem fora do falseamento de listas, poderá dizer-se que o eleito é "dono" do assento e as suas faltas apenas dizem respeito aos votantes e à explicação por eles aceite ou não.
Quando se deve a posição a um grupo político, faltando a votação importante, está-se a mostrar inaptidão para o cargo: com efeito, quantos dos nossos deputados fazem, visivelmente, mais do que levantar-se e sentar-se nas votações?
Só que eu, pondo-me nos sapatos d´outrem, até compreendo os trinta absentistas que colocaram em dificuldades o Líder Rangel - aquele antro ganhou má fama e eles querem ver-se associados à enorme barraca o menos que lhes for possível. Lembremos a definição do S. Bento par(a)lamentar, segundo Garcia Loureiro:
Espécie de casa de passe onde se levam alferes ingénuos por engano.
A ilustração é O Princípio da Ausência, de Ruth Maddison

13 comentários:

Patti disse...

este é que está certo.
Se os deputados faltam à sexta-feira, dá-se folga ao pessoal, coitadinhos!

E já agora para mim, é uma folga às segundas, porque tenho fins-de-semana intensos e não me dá jeito nenhum levantar-me cedo à segunda.

E uma caipirinha com muito açúcar amarelo, oh faxavôre!

Mialgia de Esforço disse...

O Xôr Rangel para mim ficou bem definido quando proferiu aquelas enormidades sobre os (não)direitos dos animais. Mas de quem tenho mais pena é do cão do sujeito.

Claro que da boca de um cretino só podia sair outra bujarda quando tentou justificar a ausência do seu gang com a balda de membros de outro (gang).

Mas como responsabilização é coisa que não existe - siga o baile!

Abraço.

Ka disse...

E neste país onde não há a mínima cultura política fazem o que querem, dizem o que querem e o que lhes apetece pois as consequências são nulas... Portugal no seu pior uma vez mais

Beijinho querido Paulo

Margarida Pereira disse...

Atenção que há lá gente trabalhadora...
E os outros vão ser penalizados.
Não!?
Ai não?!
Ah...

tsantos disse...

Que palhaçada! Mas num sistema que cultiva a figura do "yes man" e desresponsabiliza toda a gente, do que é que estavam à espera?...

E não podermos nós acabar com isto...

Ab
T

LeniB disse...

Ouvi há pouco o senhor Soares a dizer uma quantidade de disparates sobre os deputados faltistas...diz que não é caso para tanta polémica, coitado...

Gi disse...

Recorrentemente isto acontece, não é verdade? Devem ter estados todos em "serviço parlamentar".

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DO NOSSO AMIGO ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existisse tinham que o inventar) disse...

Já estou a ver Jaime Gama a fazer de Dama das Camélias e tudo... com uma flor presa atrás da orelha...lol

Beijinho

ariel disse...

Querido Paulo, esta coisa das broncas das faltas dos deputados é recorrente e só vêm à baila com a ladainha moralista das respectivas direcções partidárias em casos da "espuma da política"... já houveram várias. Toda a gente sabe como é que que aquilo funciona, e se funciona assim é com a cumplicidade de todos, vão-se mas é catar...

beijinho

Mike disse...

Eu começava por praticar a palavra punição, ou como se diz no Brasil, baixava o pau.
Abraço.

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Patti,
é assim mesmo, como de moralidade, nicles, temos de comer todos!

Meu Caro Mialgia,
o giro é que, deixando perder a votação, aqueles baldas estão a morder a mão que os alimenta.
A história da negação de direitos próprios à bicharada põe o sujeito atrás de qualquer (outro) burro.

Querida Ka,
ora, horários e cumprimento de deveres contratualizados são coisas para quem não tem imun(d)idade parlamentar.

Querida Margarida,
que pena? Digo, que pena! Ai, esqueça!

Meu Caro TSantos,
mas podemos. Não temos é t...oda a disponibilidade para o fazer.

Querida LeniB,
essa fonte pode ter pensado em telhados de vidro, ou simplesmente defendido o sistema de que se quer fundador. Acho que são dignos um do outro e com isto estou a ser mais duro do que com qualificativos vociferantes.

Querida Gi,
paralamentar, serviço paralamentar.

Querida Lady Bird,
uma constituição algo inapropriada para o papel de tísica, não Lhe parece?
Por outro lado, fechar os olhos vai bem como estilo dele...

Querida Ariel,
e quando se perdem votações, por causa dos evaporanços....
Claro que com a Maioria Socrática as oportunidades são raras.

Meu Caro Mike,
nos sistemas anglo-saxónicos, para impedir circunstãncias dessas, há na direcção da bancada um arrebanhador a que chamam Whip. A estes conviria passar da metáfora à literalidade...
Beijinhos e abraços

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DO NOSSO AMIGO ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existisse tinham que o inventar) disse...

Então Paulo, bora lá recuar no tempo e pôr o Mota Amaral a fazer de Dama, apesar de mais parcer a Catherine Deneuve...

Bem o Jaime Gama...se fosse mulher assim da vida, tinha aquele ar mesmo de "bardajona" com batôn encarnado e vestidos encarnados,com aqueles penteados manhosos... tá a ver a bela da figura Paulo? acho que pagava para ver...lool

lol Beijinho

tsantos disse...

Não, o problema é outro, acho eu: os nossos parlamentares são a face visível da sociedade...aposto que a maioria das pessoas faria omesmo, se pudesse!

Ab
T