sábado, 20 de dezembro de 2008

Outros Dias da Rádio

Chegou ao fim o programa que durante sete anos ouvi, na Rádio Renascença, «Com Sal e Pimenta». Devo dizer que gostava dele, e que acho excelente o nome encontrado, mas que considero não corresponder nem um pouquinho ao que oferecia. O picante e o grão de sal estavam muito mais presentes na comparação óbvia que suscita, o «Flash Back» dos gloriosos primeiros tempos, em que havia um apelo constante na marcação de pontitos de actores ou ex-actores no espectro político-partidário. Penso que esse modelo cansa tremendamente hoje, no momento em que a grande maioria do público atento está saturada dos duelozinhos de facções.
A vantagem do programa qua agora finda estava, curiosamente, na sua limitação: eram intelectuais e não políticos de primeira linha que discutiam, o que fazia as divergências e sintonias convergir para uma efectiva procura de entender a Actualidade, não de mobilizar ouvintes para a visão que cada um tinha dela. E não foram poucas as vezes em que me despertaram para factos que me haviam passado despercebidos durante a semana, apesar de me crer não tão desligado como isso dos sucessos noticiados.
A Francisco Sarsfield Cabral, João Luís César das Neves, Manuel de Lucena e João Bénard da Costa, a nota de simpatia, por terem encontrado o tom próprio da abordagem, sem decalques ou golpes publicitários que levassem a encolher a dimensão dos seus pareceres.

2 comentários:

Rudolfo Moreira disse...

Eu ia lá até que o Benard saiu.

tsantos disse...

Oh, acabou? É pena. Embora fosse um ouvinte intermitente, também me agradava o estilo e, sobretudo, a forma civilizada como se discutiam os assuntos...RIP!

Ab
T