quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Marcas do Bloguismo


Aconteceu algo que nunca esperei. Um desconhecido escreveu-me, do estrangeiro, dizendo ter reparado que eu não actualizava o meu anterior blogue há seis meses e pedindo que eu lho desse e que não me preocupasse, que ele tinha vasta experiência neste meio.

Não me interessam as motivações. Mas quando deixa de ser nítido que uma página é um prolongamento da capacidade de uma pessoa se dar a conhecer, parece ganhar vida própria, para lá do controlo do animador. Tenho de repensar a continuidade. Não gosto de ser ultrapassado pelas minhas criações.

7 comentários:

fugidia disse...

lol lol lol

Paulo, vai ter de contar esta muito bem contadinha amanhã! Estou abichormada :-D

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DO NOSSO AMIGO ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existisse tinham que o inventar) disse...

an? Tá tudo doido ou quê?
será que o Paulo deixou crescer a barba e o cabelo e está parecido com o Pai Natal?
porque é que a pessoa em questão não faz um?... deve-me ter escapado algo...
lool

Beijinho

Patti disse...

Que lho desse? Assim, sem mais nem menos?

Eu já fiz um post, para pegarem e levarem, agora um blog!

Ka disse...

creeedo!

E nem sequer consigo conceber dizpensar algo tão pessoal como um blog. Quer queiramos quer não estamos em cada letra que compõe o nosso blog.

Há gente com uma pancadazita valente :S

Luísa disse...

Surpreendemo-nos, Paulo, é claro. Mas estamos a esquecer que, para além do «espelho do criador», há a qualidade literária da obra. Alguém que certamente reconheceu esse mérito e o quer explorar, não? :-)

once disse...

qual será "o meio da vasta experiência" pergunto-me .. ;)

Beijinho e bom fim de semana Meu Amigo ..

Paulo Cunha Porto disse...

É já a seguir, Querida Fugi. Imagine então a minha cara!

Sinto o mesmo, Querida Lady Bird. Pensava, na minha ingenuidade, que o blogue era a Pessoa, posta à disposição de maior audiência...

Querida Patti,
sem mais. E Pessoa de que nunca tinha qualquer notícia.
Um pedido para publicar num blogue, ainda é concebível. Esta prospectiva doação é que me deixou de cara à banda!

Querida Ka,
foi o que me ocorreu. Pareceria, a quem lesse, que a página era alguma instituição da Imprensa, em que os colaboradores, não sendo indiferentes, seriam substituíveis. Agora, aquilo durou ano e picos e era euzinho...

Querida Luísa,
sobre isso não me pronuncio, desse criador conheço sobretudo, hélas, as imperfeições. A minha objecção é no sentido de que alguém tão admirativo possa achar-se com a vocação de continuidade que aponta.
PS: vai logo ao almocinho? Diga sim!

Querida Once,
mistééééééério!
Beijinhos