quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Que Seca!

Nunca pensei invejar tanto a Princesa, do vídeo. Uma manhã sem água canalizada é o pior dos suplícios para mim. Tirem-me a luz, eu aguento. Cortem-me o gás, eu sobrevivo. Se falta a água fico a regurgitar palavrões para o ano inteiro. O que só faz piorar o humor, lá de si mau, ao ver o Governo a importar, entusismado, detidos de Guantánamo. Espanta-me é como, com todo o lixo que se empilha em Lisboa, ainda passemos junto dos Americanos como idóneos para reciclagens. Mas este afã em fazer fretes, seja a vista grossa aos aviões da ida, como os braços abertos os da volta que cá despejem, fede por todo o lado. Está explicada a razão pela qual vejo cada vez mais, até nesta outrora exemplar linha do Estoril, pessoas com máscaras parecidas com as de cirurgia no rosto.

17 comentários:

Margarida Pereira disse...

Ui, que mau humor...
Umas garrafitas de Evian, ajudam?!
Ou então, miminhos...
Há miminhos por aí...

Beijoquitas mil

MySelf disse...

Sofro do mesmo mal... :-(

joão severino disse...

Olá Paulo

Quando a água regressar não te esqueças do nosso RC.
Abraço

nocas verde disse...

Caro Afilhado,

Deixe-me que lhe diga que esta princesa, linda como é, deverá aprender com o Lord lá de casa :)

Falta nossa, de certo, mas tem perícia e lugar cativo. Aliás, confesso envergonhada que reclama ele ser a única forma de beber água... tirada no momento ou directamente da torneira.
bj

Rudolfo Moreira disse...

S. Custa muito. Também não tinha de manhã mas tomei banho em Lisboa.

Gi disse...

Ainda hoje de manhã quando ouvi a notícia sobre Guantánamo, comentei que, certamente, os EUA oferecem dinheirinho; este nosso Governo é tão interesseiro e economicista. ;)

Precisa de um picheleiro, de um negociador em estanho? Conte-nos tudo.

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DO NOSSO AMIGO ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existisse tinham que o inventar) disse...

Pois, Paulo, aqui em Lisboa hoje havia água para dar e vender...

Adorei a Princesa, e constatei que o Paulo parece a minha mãe quando não há água...
Começa a dizer que está cheia de sede e que quer lavar isto e aquilo...tudo ao mesmo tempo...( graças a "Dios" que temos sempre um garrafão de água à mão)...

Beijinho

Ka disse...

ahhh
está explicado o motivo do seu desaparecimento das últimas horas!
É que uma pessoa habitua-se e depois estranha quando os horários são alterados :)


Espero que por esta hora já esteja com tudo em ordem!

Beijinho

Mialgia de Esforço disse...

De facto, cheirou-me a refogado. Não se zangue :)

Estou solidário consigo, Meu Caro. A falta de água é insuportável.

Nem sabia que vinham aí uns desalojados de Guantanamo. Esta terra é uma categoria! E agora fugimos para onde?

Abraço.

Patti disse...

Realmente ontem, já cheirava aqui um bocadinho mal, mas eu vi logo que era da greve dos outros do lixo.
Agora hoje, está insuportável e a ver pelo seu desaparecimento foi meter-se em algumas termas, não?

Umas águas minerais, com gás até!

E a Princesa é linda...que saudades da minha Maria.

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Margarida,
pudera, aqui de mola no nariz até às seis da tarde!
Vou já à caça da mimalhice, em acabando de responder.

Querida Myself,
ai Vizinha, isto está mau...

Nunca, Meu Caro João Severino. Tenho andado com uma vida complicada, mas conto que a partir de amanhã tudo regresse à normalidade.

Querida Nocas Verde,
isso é que são felinos! Vão lá dizer a outro que têm medo da água...

Vantagens da dupla residência, Meu Caro Rudolfo. Um proletário como eu não tem luxos desses, vive de aproximações.

Querida Gi,
olhe que o meu primeiro pensamento doi ter pegado a Vossa gripe de tubagens...
Afinal foi corte... tout court, mesmo.
Quando ao desfoverno, se calhar foi tentame de engraxar o patrão, mesmo que não venha gorjeta.

Querida Lady Bird,
pois, eu também. Mas o jeito que dá uma pessoa lavar-se, mais à loiça, com uma Doente em casa, acrescendo a necessidade de fazer a barba e só ter o garrafãozito...

Pois, Querida Ka,
mas foi um dia épico. Normalidade só amanhã...

Meu Caro Mialgia,
ui, eu estava ainda mais infrequentável do que é costume.
Espero é que nos não mandem para a base cubana, por troca com esses turistas, à laia daquela permuta de lares para férias de adolescentes...
Ouvi dizer que anda a recusr convites de Senhoras????!

Querida Patti,
pois por termas tenho as do Estotil em reconstrução, mesmo ao lado...
Foi um dia horrível, tive de dspachar uma data de assuntos completamente hirsuto. Só agora surgiu a détente.
A princesa é fabulosa. e parecida com as minhas. Tirei-a do YouTube e julgo-a americana, tomei foi a liberdade de lhe traduzir o nome.
Beijinhos e abraços

mike disse...

Ui, que esse Teu humor hoje está virado do avesso. Felizmente sem Te impedir que escrevas cristalinamente como a água que Te falta. E que continues a fazer-nos rir como os Americanos o fazem à nossa conta.
Abraço.

tsantos disse...

E lembras-te, Paulo, daquele terrível inverno do início dos anos 80 (não me recordo do ano exacto), em que estivemos dias sem água? Chovia que Deus dava e lá íamos nós com garrafões buscar água aos autotanques dos Bombeiros que vinham abastecer os bairros...ISSO foi um suplício...

Ab

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caro Paulo, fico exactamente na mesma coma falta de água, problema que já em afectava quando eramos vizinhos.
Presumo que desta feita, a causa resida na necessidade de o Amado e seus antecessores - que autorizaram os voos para Guantanamo- a ela recorrerem, para lavar a consciência.

ariel disse...

Querido Paulo, toda a minha solidaridade. Eu fico verdadeiramente em pânico quando me falta a água, incapaz de me mexer, paralizo. Deve ter sido uma coisa pontual espero que esteja resolvida.
Beijinho

Mialgia de Esforço disse...

Caro Paulo,

Respondo, com todo o gosto, à sua pergunta por mail.

Abraço.

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Mike,
estava... passado.
Vamos tentando.

Nem fales nisso, Caríssimo TSantos! A ironia de ver os aguaceiros onde, de todo, não são precisos!
Felizmente, ao fim da tarde, tudo foi restabelecido. Escusei de arranhar uma Querida amiga, salvo por palavras amigas e provocaçõezinhas.

Ahahahaha! Caro Carlos, precisriam de um Oceano Pacífico!
Esta nossa região é martirizadíssima pelas falhas de abastecimento. Um Amigo que veio para cá morar quando casou disse-me que sofreu mais cortes cá num ano do que em toda a vida anterior, no poiso de solteiro.
Vais à paparoca?

É terrível, Querida Ariel, nem teclar convenientemente consegui!
Já está tudo bem. Para me desforrar, fiquei o dobro do tempo debaixo do chuveiro.

Meu Caro Mialgia,
vou já ver.
Beijinhos e abraços