terça-feira, 28 de outubro de 2008

Tacada e Carambolas

Surpreendente pode ter sido, à primeira vista, o episódio do casal do Colorado que estacionando num take away, à procura de uns tacos com que matassem a traça que sentiam na barriguinha, foram presenteados com uma pequena embalagem de... Marijuana.
Uma explicação óbvia para o caso seria ter-se convencionado em alguma rede de tráfico o pedido de tacos como código para ser atendido em forma de cannabis por aquele distribuidor. Mas há hipótese mais preocupante,
qu-al seja a de o extra consubstanciar um acto mais de propaganda do fortíssimo grupo reivindicativo que pretende ver aquela droga legalizada, mesmo para além do uso médico. Tão persistente tem sido a campanha que chegam a adaptar os antigos cartazes com que se exortava à abstinência do consumo desse vegetal, invertendo a mensagem, como aqui demonstro graficamente. E ninguém me tira da cabeça que foi a recepção deste tipo de ideário que levou à nossa aba da abertura aos estupefacientes, com a descriminalização do consumo por anterior Governo Socialista.
Agora, se querem mesmo uma alternativa alucinada, ao estilo peculiar deste blogueiro, diria que, sendo os tacos uma comida Mexicana e sendo o grande País Centro-Americano a terra dos cogumelos alucinogénicos, havia uma tradição culinária a manter...

15 comentários:

filomeno2006 disse...

Prefiero el empleo del término "hachís" o "grifa".......

filomeno2006 disse...

Algunos, incluso, la llaman simplemente "María", en vez de "Mari- Juana"........

Mialgia de Esforço disse...

... e nos EUA é conhecida por Mary Jane.

Neste caso foi um descuido do funcionário, mas esta técnica de recorrer a restaurantes para transaccionar o produto é bem conhecida das autoridades. Isto partindo do pressuposto que ela existe e actua. A autoridade, claro está.

filomeno2006 disse...

Curiosidad que creo conocerá el gran Paulo: la palabra "Haxixe", en el origen de la palabra "Asesino"........
Ab.

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Filomeno,
sim sabia da origem do termo "hachiche", mas fiquei chocado com o "simplesmente Maria" aplicado a uma erva danada. Afinal é o nome de Nossa Senhora!

Ah, sim, Caro Mialgia, se o produto não fosse activo e existente, de certeza que haveria guerra dentro da estrutura que o comercializa.
O que eu desconhecia era a ligação da Comunidade Mexicana a estas transacções, admitindo, claro, que se não trata de imitação de outra qualquer proveniência.
Abraços

filomeno2006 disse...

Amigo Paulo: jerga del lumpen madrileño: "Me he bajado al moro (he ido a Marruecos) a pillar "maría" (a comprar "hachís")

Paulo Cunha Porto disse...

Raios, isso por cá poderia ser uma boutade de algum adepto Portista com menos categoria do que o nosso Mialgia contra os adeptos dos clubes do Sul...

Lê o que escrevi na caixa do cão salvador de gatinhos, Meu Caro Confrade Filomeno.
Abraço

Ka disse...

Meu caro Paulo,

Chego aqui eu para comentar o post e leio uma piada clubística :P

Olhe que nem todos os adeptos são os que aparecem nas tv's !!

beijinho

Paulo Cunha Porto disse...

Querida Ka,
ui, estou a ver que o Amigo Mialgia está muito bem acompanhado. Mas claro que sei qie os frequentadores do «Duro...» não empregam um linguajar tão... edurecido.
Beijinho

Mialgia de Esforço disse...

Caro Paulo,

Com esta é que os tradutores vão todos para o desemprego. Isto a propósito do Babel Fish. Não tinha notado a existência deste "gizmo", mas é, no mínimo, hilariante.

Fiz esta experiência:

Agora, se querem mesmo uma alternativa alucinada, ao estilo peculiar deste blogueiro, diria que, sendo os tacos uma comida Mexicana e sendo o grande País Centro-Americano a terra dos cogumelos alucinogénicos, havia uma tradição culinária a manter...

Saiu-me este prémio:

Now, if they want a alucinada alternative exactly, to the peculiar style of this blogueiro, would say that, being the parquet blocks a Mexican food and being the great Central American Country the land of the alucinogénicos mushrooms, had a culinária tradition to keep…

Vai um parquet blocks?

Abraço.

JúliaML disse...

ontem comentei em dois posts e não está aqui nada...:-(

a minha cabeça!!

ana v. disse...

LOL "Parquet blocks"? Essa é óptima, Mialgia!

Mas para mim não é surpresa, desde que o google traduziu "uma hora e meia" por "one hour and stocking" (inglês) e "un'ora e calza" (italiano)... se quiser divertir-se um bocadinho, leia aqui uma tradução do Porta do Vento: http://blogs.sapo.pt/editjournal.bml

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Mialgia,
ora bem, esta máquina é um primor. Já no blogue anterior, eu tinha responddo, a um comentário da Ana, que "ficava com o brinde", no sentido de lembrança. Pois a tradução automática deu "I take the toast"...
Mas, que quer, pode ser que assim interesse Leitores de outras paragens. E que até os intrigue, ao ponto de irem aprender Português.
Quanto à sugestão alimentar, seria ir além de morder a poeira do chão!

Querida Júlia,
mas que aconteceu? Sabe bem que não apago posts seja de quem for, muito menos da nossa Moura Encantada!

Querida Ana,
a máquina, aí, acertou: estava a encorajar-Te a fazer de Cyd Charrisse em «Meias de Seda». Tu é que não deste ouvidos...
Beijinhos e abraço

nils disse...

Caro Paulo

Dos cogumelos? Dos cactos, amigo... Quanto à marijuana e afins, sabe que nesse assunto como em tantos outros, estamos nos antípodas. Eu gosto e muito!
Cumprimentos

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Nils,
que bom, ver que já me descobriu aqui!
Pois eu,nem com travões, nem sem eles, à Clinton!
Agora, o facto de o México ser a terra de cactos inspiradores e outras ervas do Diabo, não exclui o seu antiquíssimo recurso aos champignons do ramo. Ora veja:
http://cogumelosalucinogenicos.blogspot.com/

Abraço