quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Passado Deprimente?

Confesso que tinha receios sobre o que pudesse acontecer hoje na Bolsa. 29 de Outubro marca o aniversário do crash que originou a depressão maior, a de 1929 e, concordando toda a gente em que a Confiança está na base de toda a saúde económica, temi que anos vencidos sobre uma derrocada pudessem inibir um tanto os investidores. Até agora, no entanto, sin novedad.
Saltitando para a crise global, espero que não se reeditem os erros que transformaram a constipação dos Anos Vinte numa pneumonia quase fatal. A obsessão pelos automatismos de Hoover, salvo em disciplina orçamental, levaram-no a acreditar que o equilíbrio das contas teria automático efeito sobre a segurança dos particulares em matéria de rumo a dar ao dinheiro. Era aquilo a que menos ligavam. Ao aumentar impostos e reduzir despesa, fez parte considerável da Procura evaporar-se. As actuais autoridades americanas parece terem aprendido a lição de que a segunda atitude, por desejável que seja normalmente, não deve ter lugar em circunstâncias deste jaez. Mas quanto a aumentos tributários, há insinuações preocupantes nas intenções programáticas de Obama. Claro que as razões para esse incremento fiscal seriam menos prementes se os sortes de Bush, positivos como foram, tivessem tido a dimensão de um terço da que atingiram. Como defendi na altura, sem que alguém me ligasse.
Esperemos que o Velho Karl tenha razão e que a repetição do Trágico histórico não venha a ser mais do que Comédia.

4 comentários:

filomeno2006 disse...

Amigo Paulo: lo terrible de la crisis actual es que une el Pánico de 1907 con el Crack de 1929 y con la posibilidad de que la OPEP decrete subidas como en 1973......
Ab.

ariel disse...

Querido Paulo, a coisa está mesmo muito preta. E vai ser muito natural que se comentam excessos contrários, e que as pessoas na sua aflição se virem para quem lhes dá esperança é o reverso da medalha... ninguém sabe bem o que nos espera

Paulo Cunha Porto disse...

Está bem visto, Meu Caro Filomeno. Não tinha pensado nisso. Mas até agora há uma diferença de tomo - o Povo, se não é sereno, como Queria o Almirante Pinheiro de Azevedo, vai estando nessa letárgica condição. O que, afinal, nos pode salvar a todos.

Querida Ariel,
a Menina é Terrível. Com essa gracinha da cor, ainda aparece alguém da campanha do Senador Obama a puxar-Lhe as orelhas...
Eu acho que a crise financeira já deu o que tinha a dar, sobretudo a bolsos de investidores na Bolsa ratos, à custa de muitos outros, mais arrastados. Vêm é aí uns tempos lindos, para quem precise de Emprego... E quero ver para que lado se voltará a intervenção fiscal de Washingtom...
Beijinho e abraço

Paulo Cunha Porto disse...

Por caridade, leiam "cortes" onde saiu "sortes". sto é que deu um azar...